Inspeção das instalações elétricas – o que continua em falta

Em artigo publicado na revista “O Instalador” de Dezembro, escrevemos sobre “Inspeção das Instalações Elétricas: o que continua em falta”. Perceba o que a nossa Diretora da Unidade de Inspeções, Engª Maria José Ribeiro, tem a dizer sobre este assunto!

Um longo caminho foi já percorrido desde o início deste ano, altura que entrou em vigor o decreto-lei 96/2017, alterado /complementado pela lei 61/2018 de 21 de Agosto . Neste momento podemos dizer que a atividade executada pelo IEP, como entidade inspetora de instalações elétricas, estabilizou e os mecanismos estão agora completamente implementados.

No entanto, julgamos que duas questões pertinentes continuam ainda por resolver:

Por um lado, o decreto-lei 96/2017 estabelece a obrigatoriedade e a periodicidade da realização de inspeções periódicas obrigatórias a determinadas instalações mas não considera nesse grupo as instalações do tipo residencial. Ora, estas são precisamente as que, ao longo dos anos vão sofrendo alterações para adaptação às novas necessidades, alterações essas frequentemente executadas pelos próprios utilizadores, sem qualquer tipo de habilitação técnica para o efeito, podendo colocar a instalação em situação de risco.

Não há dúvidas de que o avanço da tecnologia e o maior poder de compra da população transformaram a forma de consumir energia. Por exemplo, uma casa dimensionada há cerca de 30 anos precisa hoje de sustentar muitos mais equipamentos do que na data da sua execução. Mais, os materiais utilizados nas instalações elétricas envelhecem com o tempo e, progressivamente, perdem vida útil, podendo originar falhas de funcionamento e outras situações que afetam a segurança de pessoas e bens.

Acresce que nas instalações elétricas de uso particular, os utilizadores não são detentores de conhecimento técnico no que respeita ao funcionamento dos equipamentos e no que respeita aos perigos mais comuns causados por deficiências e mau estado de conservação.

A deficiente conceção das instalações, as sucessivas alterações e adaptações e o mau funcionamento dos equipamentos aliados a comportamentos inadequados no que respeita à utilização de energia elétrica, potenciam a ocorrência de situações perigosas que podem pôr em risco a segurança das instalações e a vida dos seus utilizadores. Alertamos, por exemplo, para casos como as escolas ou lares, tantas vezes edifícios envelhecidos, com pouca ou nenhuma manutenção e com utilizadores mais vulneráveis!

No entanto, o facto de não estar legalmente estabelecida a obrigatoriedade de realização de inspeções periódicas a todas as instalações, isso não significa que não possam, ou mesmo devam, ser inspecionadas! Só o conhecimento do estado em que se encontram as instalações vai permitir tomar ações para colmatar as situações de risco e adaptar essas instalações às novas necessidades.

Por outro lado, assistimos a um aumento da procura por formação qualificada nesta área, uma vez que surgem novas matérias, como por exemplo e atualmente, as instalações para o carregamento de veículos elétricos, em que a oferta é limitada e nem sempre ministrada por entidades com know-how ou prática nesta área. Nesta matéria, a prática é essencial, já que é ela que nos coloca perante os diversos problemas existentes numa rede elétrica sem qualquer planeamento para o carregamento de veículos elétricos.

No IEP lidamos com esta realidade diariamente, o que nos permite abordar as questões práticas com que mais frequentemente os técnicos se debatem no seu dia-a-dia.

A nossa oferta formativa é disponibilizada em horários alargados e fins-de-semana permitindo ao técnico conciliar a formação com o seu trabalho que, como sabemos, é sempre para ontem!!

Scroll to Top