Segurança de Trabalhos em Altura no setor da Construção

Segurança de Trabalhos em Altura no setor da Construção

Os trabalhos em altura representam um risco significativo no setor da construção, com as “quedas” a representarem uma das principais causas de acidentes graves e fatais. A implementação de medidas de segurança eficazes é crucial para proteger os trabalhadores e garantir um ambiente de trabalho seguro.

Segundo a legislação portuguesa, considera-se Trabalho em Altura “qualquer atividade realizada a uma altura superior a 2 metros em relação ao nível do solo ou piso adjacente, incluindo aberturas e desníveis”.

 

Panorama Nacional

Em Portugal, os acidentes de trabalho em altura representam um problema grave de saúde pública, com consequências devastadoras para os trabalhadores e suas famílias. De acordo com dados da Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT):

Em 2023 houve o registo de 119 mortes por acidentes de trabalho, dos quais 25% (29 casos) foram causados por quedas em altura. 449 acidentes de trabalho graves, dos quais 18% (81 casos) envolveram quedas em altura.

Entre 2020 e 2023, houve uma redução de 10% no número total de mortes por acidentes de trabalho; e uma redução de 15% no número de acidentes de trabalho graves.

Apesar da redução, as quedas em altura continuam a ser uma das principais causas de morte e de acidentes graves no trabalho.

 

Num estudo da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), com o objetivo de analisar os exames médico-legais de vítimas de acidentes de trabalho graves na região Norte de Portugal, concluíram que:

– Quedas em altura e acidentes de viação foram as principais causas de acidentes graves.

– Homens entre 25 e 45 anos, que trabalham na construção, operação de máquinas, serviços gerais e no comércio, são as principais vítimas.

– 73,8% das lesões se localizam no cérebro e na medula espinal.

– 23,3% das vítimas ficaram com incapacidade permanente parcial (IPP).

– 35% das vítimas ficaram com incapacidade permanente absoluta para todo e qualquer trabalho (IPA).

– 41,7% das vítimas ficaram com incapacidade permanente absoluta para o trabalho habitual (IPATH).

 

O planeamento e a avaliação de riscos são preponderantes para evitar acidente, nomeadamente, elaborando um plano de trabalho específico para cada atividade em altura, incluindo a identificação de todos os riscos potenciais e as medidas de controlo a serem implementadas. É ainda importante a realização de uma análise de segurança do trabalho antes do início da atividade, considerando as condições climáticas, o estado dos equipamentos e a qualificação dos trabalhadores. Os Equipamentos de Proteção Individual/Coletiva (EPIs e EPCs) são também elementos cruciais para a prevenção e segurança de trabalhos em altura.

 

O papel da formação

A formação periódica e específica para todos os trabalhadores que realizam trabalhos em altura deve abranger o uso correto dos EPIs e EPCs; Técnicas de trabalho seguro em altura; Procedimentos de emergência.

O IEP – Instituto Eletrotécnico Português promove no próximo dia 4 de abril de 2024, no Porto, a formação em Segurança de Trabalhos em Altura.

Este curso teórico-prático, direcionado a trabalhadores que tenham a seu cargo a realização de trabalhos em altura, tem como objetivos dotar os participantes dos conhecimentos que lhes permitam efetuar com segurança trabalhos em altura; conhecer o enquadramento legal na área de segurança e saúde no trabalho; utilizar corretamente os EPI e proceder à respetiva verificação; conhecer a sinalização de segurança e a sua correta utilização; saber avaliar as condições envolventes da obra (traçados de energia, telecomunicações etc.

Para mais informações sobre o programa formativo e inscrições, por favor aceda à página do curso.

A segurança dos trabalhadores em altura é uma responsabilidade partilhada entre empregadores, trabalhadores e entidades responsáveis pela segurança no trabalho. Através da implementação de medidas de segurança eficazes, como as descritas acima, é possível prevenir acidentes e garantir um ambiente de trabalho mais seguro para todos. A segurança não é um custo, mas sim um investimento na saúde e bem-estar dos trabalhadores e na qualidade do trabalho.

Scroll to Top